Terça, 30 de Novembro de 2021
°

-

Dólar
R$ 5,61
Euro
R$ 6,32
Peso Arg.
R$ 0,06
Anúncio
Dívidas Ocultas Dividas Ocultas

Mabunda confunde-se ao explicar de onde conhece o có-réu Sidónio Sitoe

Fabião Mabunda transferiu 11 milhões e 520 mil meticais a 29 de Agosto de 2013 a Sidónio Sitoe

16/09/2021 às 13h33
Por: Paulo Mahlalele Fonte: O Pais
Compartilhe:
O Pais
O Pais

No prosseguimento do interrogatório ao réu, o Ministério Público questionou a Fabião Mabunda se conhecia o có-reu Sidónio Sitoe. Mabunda disse que conheceu-o na cadeia. Entretanto, a sua empresa já tinha feito transferências para Sidónio Sitoe em 2013, de acordo com um extracto bancário na posse do Ministério Público.

 

Fabião Mabunda transferiu 11 milhões e 520 mil meticais a 29 de Agosto de 2013 a Sidónio Sitoe. Quando questionado sobre como fez a transferência para alguém que não conhecia, o réu disse que foi a pedido da co-ré Ângela Leão. “Eu tinha um valor dela em numerário no cofre do meu escritório e preferi fazer a transferência para ela. Não tenho o comprovativo porque quem guardava os documentos era o meu falecido irmão. Ele faleceu em 2014, e era ele quem cuidava da minha contabilidade. Quando fui detido o meu escritório foi encerrado”, justificou Mabunda.

 

Quando a magistrada do Ministério Público perguntou se o réu tem como ter o documento, através do seu advogado, Mabunda disse que os documentos ficaram ao relento e podem ter-se perdido.

 

A segunda transferência terá sido feita a 6 de Setembro de 2013, um dia depois de Mabunda ter recebido a segunda tranche da Privinvest.

 

Após uma certa insistência do Tribunal, o réu Fabião Mabunda disse ao Juiz Efigénio Baptista que os documentos que provam a recepção do valor em numerário, já não existem.

 

Ana Sheila Marrengula fez a leitura das declarações de Fabião Salvador Mabunda na Procuradoria-Geral da República, que mostram contradição quanto à relação que o réu tinha, à data dos factos com o co-réu Sidónio Sitoe. Mabunda disse que não reconhece as declarações que fez na PGR e diz que poderá ter feito as mesmas sob pressão.

 

“O Procurador me ameaçou e disse que a minha esposa podia ser constituída arguida. Porque transferi um valor para ela, para as despesas de casa. Um homem que se preze faz de tudo para defender a sua família”, argumentou o réu.

 

Sidónio Sitoe deverá ser ouvido na sexta-feira, 17 de Setembro, de acordo com o calendário do julgamento.

 

O Ministério Público confrontou Mabunda com um documento onde vêm descritas as transferências que fez a vários empreiteiros moçambicanos, no interesse de Ângela Leão. Entretanto, o réu diz que não se recorda de ter produzido um documento, onde vem descrito como gastou o valor recebido da Privinvest.

 

“Eu não usei o valor da Privinvest para fazer pagamentos. Usei o valor que tinha em numerário da Ângela Leão”, reiterou Mabunda.

 

Mesmo diante de provas materiais que indicam o recebimento, levantamentos e transferências na sua conta bancária, o réu diz que é inocente.

 

Perguntado sobre a relação que tem com co-réu Khessaujee Pulchand, Mabunda diz que estudaram na mesma faculdade, mas nunca tiveram nenhuma relação. Entretanto, Mabunda confirma a emissão de cheques a favor de Khessaujee Pulchand e diz que foi sob orientação do dono da casa de câmbios.

 

O réu, que está a ser ouvido desde a manhã desta segunda-feira, confirma, igualmente, transferências de valores para a conta de Mbanda Henning, irmã de Ângela Leão, a pedido da co-ré.

 

Ao Ministério Público, Fabião Mabunda garantiu que tinha contratos assinados com Ângela Leão, entretanto “não consigo apresentar o contrato agora”, respondeu.

 

Fabião Mabunda disse igualmente, que recebeu vários valores em numerário de Ângela Leão e por isso não sabe precisar quanto dinheiro recebeu no total.

 

Ao todo foram 140 questões colocadas pelo Ministério Público num interrogatório, que durou pouco mais de nove horas.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias